Guedes defende aumento “moderado” do Bolsa Família para a faixa de R$ 300

15/09/2021 às 12:54


O ministro da Economia, Paulo Guedes, defendeu que o aumento do Bolsa Família seja moderado. Sugeriu um reajuste para o valor médio de R$ 300 (hoje é cerca de R$ 190).

Em live realizada nesta 4ª feira (15.set.2021), Guedes citou que um ajuste maior que isso seria populismo fiscal.”Ímpetos eleitorais aconteceram no passado e acabou em impeachment, não queremos que isso se repita”, afirmou.

Segundo Guedes, hoje não há espaço no teto de gastos para comportar a ampliação do programa. O recurso que seria utilizado para o Bolsa Família foi ocupado pelo crescimento dos precatórios que saltaram para R$ 89,1 bilhões em 2022.

Para resolver a bola de neve de dívidas judiciais, o ministro disse que fez uma consulta ao Legislativo e ao Judiciário sobre qual o melhor caminho.

A declaração foi em live com os presidentes do Senado, Rodrigo Pacheco, e do Supremo Tribunal Federal, Luiz Fux.

“Como que eu reajo? Socorro ministro Fux. Socorro presidente Pacheco. Como eu posso manter minhas obrigações, como o aumento do Bolsa Família, que é absolutamente necessário — mesmo que modesto, não R$ 600, R$ 700, como querem fazer. Isso poderia ser lido como populismo”, declarou.

“O Bolsa Família de R$ 300 já estava orçamentado, dentro do teto, debaixo da Lei da Responsabilidade Fiscal, moderado. E isso se torna inviável quando eu tenho que executar uma ordem de R$ 90 bilhões.”

CARTA DE BOLSONARO
Guedes disse que Jair Bolsonaro demonstrou em sua carta à nação que os atritos são normais, mas que respeita os outros Poderes. “Podemos ter um arroubo aqui e outro ali, mas, no fundo, todo mundo tem que jogar dentro das 4 linhas [da Constituição]”.

Poder 360






Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *








PERFIL

Gosta de comentar fatos do cotidiano do Brasil e do Estado nas suas redes sociais.

Jardim das Águas Jardim das Águas