Bolsonaro não reduz combustíveis porque “tem rabo preso”, diz Lula

24/05/2022 às 14:39


O pré-candidato do PT à Presidência da República Luiz Inácio Lula da Silva disse, nesta terça-feira (24/5), que o presidente Jair Bolsonaro (PL) tem “rabo preso” e que falta “coragem” para mudar a política de preços da Petrobras. Segundo Lula, o atual chefe do Executivo federal não usa o poder que tem para abrir um diálogo e impedir que a estatal continue a comercializar combustíveis no Brasil com base na cotação internacional.

“O Bolsonaro precisa parar de falar bobagem, precisa parar de ficar dizendo que tem vontade de dar murro na mesa. Não é trocando o presidente [da Petrobras], não. Se a Petrobras é tão importante, assuma ele a presidência da Petrobras. O que ele tem que ter é coragem. Porque, na verdade, o que ele tem é o rabo preso aos preços internacionais”, disparou Lula, em entrevista à Rádio Mais Brasil News.

“Ele pode fazer uma reunião com o Conselho Nacional de Política Energética, trazer a Petrobras para a mesa. Traga o conselho da Petrobras e decida que o preço não será dolarizado, que nós não vamos pagar o preço internacional”, sugeriu o petista, ao comentar a nova troca de presidente da petroleira, anunciada pelo governo na noite de segunda-feira (23/5).

José Mauro Ferreira Coelho ficou apenas 40 dias no cargo. Em substituição a ele, o governo indicou agora Caio Mário Paes de Andrade, atual secretário de Desburocratização do Ministério da Economia. Esta foi a terceira mudança no comando da empresa durante o governo de Bolsonaro.

Teto para banqueiros
Na entrevista, Lula voltou a dizer que não dará continuidade à política de teto de gastos públicos. A medida passou a constar na Constituição Federal após ser aprovada pelo Congresso Nacional durante o governo de Michel Temer (MDB). Segundo o ex-chefe do Executivo federal, o limite de gastos do Estado somente favorece banqueiros “gananciosos”, ao impedir investimentos em políticas públicas para a população.

O controle, para o petista, é um mecanismo das “elites econômica e política” brasileiras e, em um “governo sério”, esse teto não é necessário.

“No nosso governo, haverá responsabilidade social, e não teto de gastos”, disse Lula.

“Por que aprovaram teto de gastos?”, questionou Lula. “Porque os banqueiros são gananciosos. Eles exigiram que o governo garantisse o que eles têm direito de receber e tentaram criar problemas para investimento na Saúde, na Educação, na Ciência e Tecnologia”, avaliou o petista.

“O teto de gastos foi uma forma que a elite econômica brasileira e a elite política fizeram para evitar que o pobre tivesse aumento dos benefícios, das políticas sociais, da educação e da saúde para garantir que os banqueiros não deixem de receber as coisas que o governo deve para ele.”

A política é prevista na Emenda Constitucional nº 95, aprovada em 2016. Ela estabelece um limite para os gastos da União para os 20 anos seguintes, a contar de 2017. Esse limite é definido com base no orçamento do ano anterior, corrigido todos os anos pela variação da inflação acumulada em 12 meses até junho do ano anterior.

Metrópoles







20 respostas para “Bolsonaro não reduz combustíveis porque “tem rabo preso”, diz Lula”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *



Publicidade Publicidade