Veraneio: Aprenda a ser rico

09/01/2020 às 21:02


Você conhece um rico de longe não pela conta bancária, pelo patrimônio, por causa da empresa, mas pela forma que dança. No dançar é que conseguimos diferenciar um rico e um pobre. Rico tem emoções contidas, o pobre é espalhafatoso. O rico consegue passar horas dançando no mesmo passinho, só flexionalizando lentamente os joelhos, sem derramar uma gota de suor. Pobre dança com as pernas, braços e tronco, rebola os quadris, pula, agacha, fica com a camisa molhada de tanto dançar. Uma mulher rica deixa o queixo com 95 graus de ângulo, segura a taça pela haste na altura um pouco abaixo do lábio. Ela sorrir de forma discreta. A pobre bebe cerveja, horas dança até o chão, só falta deslocar o quadril de tanto rebolar. Sorrir demais, é muito simpática, tá se divertindo, não desfilando. O único movimento mais abrupto do homem rico é para mostrar o relógio. O pobre é performático, tem dancinhas ensaiadas. Rico gosta de hiphop, pobre vai de Reginaldo Rossi. Para ser rico não precisa ter dinheiro, basta saber se comportar na dança.  





Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *










PERFIL

Gosta de comentar fatos do cotidiano do Brasil e do Estado nas suas redes sociais.

Cuidare BR */ ?>