E agora, esquerda? As denúncias de crimes sexuais cometidos por terroristas do Hamas

02/12/2023 às 16:48


Defensora dos terroristas do Hamas, considerados como "revolucionários", a esquerda teve seu silêncio seletivo denunciado por juristas e ativistas israelenses as organizações internacionais de defesa dos direitos das mulheres. Afinal, são vários os relatos delas de violações cometidas pelo grupo terrorista no seu ataque do dia 7 de outubro.

Segundo as autoridades israelenses, 1.200 pessoas foram mortas durante o ataque do movimento, na maioria civis. Além do massacre, a polícia investiga supostos crimes sexuais, incluindo estupros coletivos e mutilação de cadáveres.

Até agora, os investigadores recolheram “mais de 1.500 depoimentos chocantes e dolorosos” de testemunhas, patologistas e médicos, afirmou um agente da polícia nesta semana no Parlamento israelense.

Mas até esta semana, quando tanto o secretário-geral das Nações Unidas quanto a ONU Mulheres emitiram declarações sobre as acusações, os ativistas dizem que as respostas foram mínimas, sentindo-se traídos pela comunidade internacional.

A ONU Mulheres disse estar "consciente das preocupações" sobre as reações das organizações de mulheres, afirmando que foi "a primeira parte do sistema da ONU a expressar publicamente alarme sobre relatos de violência com base no gênero, incluindo violência sexual".

2 respostas para “E agora, esquerda? As denúncias de crimes sexuais cometidos por terroristas do Hamas”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *
Publicidade Publicidade